• Karoshi: os limites entre o seu trabalho e a sua saúde

    Compartilhe em suas redes!

    Dois anos atrás, no Japão, eles enfrentaram um problema de saúde pública, devido à doença de Karoshi que podemos traduzir como a morte por excesso de trabalho, desde então 191 pessoas foram vítimas desta síndrome.

    Desde 1987, o Ministério da Saúde começou a coletar informações sobre essa condição. O primeiro relatório que foi conhecido foi o de um homem de 29 anos que foi encontrado morto em sua mesa de trabalho em 1969.

    O mais alarmante foi outro relatório do Ministério do Trabalho, divulgado pelo jornal espanhol Vanguardia, no qual afirmava que “naquele ano havia 2.159 suicídios no país devido a causas relacionadas ao trabalho, 675 deles devido à fadiga”.

    Assim, em 2018, “o Parlamento aprovou a reforma trabalhista que limita as horas extras, uma medida que busca reduzir o número de mortes devido ao excesso de trabalho naquele país”, segundo o El Espectador.

    Um relatório da Organização Internacional do Trabalho revelou que: “Karoshi atualmente é responsável por 10 mil mortes por ano naquele país, já que 20% dos japoneses dedicam mais de 12 horas por dia ao seu trabalho”.

    Mas, por que a doença de Karoshi causa morte? 

    Esta doença leva à morte das pessoas, porque o estresse excessivo e a falta de descanso podem causar paradas cardíacas ou falhas de pressão e até derrames. A principal causa é a falta de sono.

    Especialistas médicos disseram que: “A doença pode anunciar sua presença com o excesso de estresse e sonolência diária que um empregado pode apresentar em seu dia de trabalho. Esses sintomas impedem que o cérebro e o coração funcionem de forma vital, suspendendo algumas funções do cérebro”.

    O excesso de trabalho tem efeitos negativos na saúde física e mental

    Um estudo realizado pela University College of London, disse que trabalhar mais de 8 horas pode aumentar três vezes o risco de depressão. “As horas extras causariam maior exposição ao estresse e, ao mesmo tempo, nos afastariam da família e dos amigos, o que causaria uma sensação de solidão e abatimento”.

    Mais horas de trabalho é equivalente a mais produtividade?

    Trabalhar mais horas por dia não significa necessariamente maior produtividade. No Brasil, por exemplo, a carga horária é de 44 horas semanais, perdendo somente para países como Argentina e Colômbia, segundo o jornal Nexo. Enquanto outros países possuem números bem menores: 36 na Alemanha; 39 nos Estados Unidos; 36 na Grã-Bretanha e na Noruega, onde o PIB e a produtividade são mais altos “, disse El Espectador.

    Além disso, várias pessoas excedem 8 horas por dia, porque ficam mais tempo no escritório pela quantidade de trabalho represada.

    Um estudo do The Draugiem Group mostrou que: “a duração do dia de trabalho não importava muito; o que importava era como as pessoas estruturavam seu dia. Em particular, as pessoas que eram firmes em fazer pausas curtas eram muito mais produtivas do que aquelas que trabalhavam mais horas ”, confirmou El Espectador.

    A coordenadora administrativa de Fernanda Muñoz, que lidera a saúde e segurança ocupacional na Qualylife, disse: “Durante horas de trabalho prolongadas, os funcionários precisam de intervalos em intervalos de tempo estratégicos para maior produtividade e cuidar da saúde do pessoal”.

    A produtividade é fazer mais em menos tempo, sem perder horas em atividades que não deixam resultados efetivos, no entanto, atingir esse objetivo depende do correto desenvolvimento não só das habilidades técnicas, mas também comportamentais, onde a gestão do tempo se destaca. E de boa comunicação dentro das organizações. Caso contrário, todos os esforços serão em vão.

    Da mesma forma, “sair” hoje do local de trabalho é muito mais complexo devido à ascensão das tecnologias, fazendo com que os indivíduos estejam conectados à organização por períodos de tempo mais longos.

    6 sintomas por excesso de trabalho

    karoshi

    1. Estresse crônico
    2. Sonolência
    3. Irritabilidade
    4. Esgotamento mental
    5. Problemas com relacionamentos pessoais
    6. Desconforto físico

    Trabalhar menos horas por semana traz melhor qualidade de vida, o que contribui para o bem-estar físico e emocional. Para trabalhar menos horas e ser mais produtivo, o primeiro passo é aprender a administrar o tempo!

    Se você estiver interessado(a) em treinar uma equipe em sua organização para ser mais produtiva, acesse: http://materiais.qualylife.com.br/gerenciamento-do-tempo

    Conheça as nossas soluções para a sua empresa: http://qualylife.com.br/#solucoes

    Elaborado por: María Alejandra Parra – Coordenadora de Comunicações e Marketing Qualylife

    Fontes:

    • BBC NEWS: O que é o “karoshi”, a morte do excesso de trabalho que no Japão é um problema de saúde pública.
    • El Colombiano: Não por trabalhar mais horas, que você é mais produtivo.
    • El Espectador: Japão aprova horas extras máximas para evitar mortes por excesso de trabalho.
    • El Espectador: Trabalhar menos horas, aumenta a produtividade?
    • Bem-estar 180: O que é Karoshi ou a morte por excesso de trabalho?
    • Fucsia: Karoshi: LA doença que mata por excesso de trabalho.

     

     

     

     

     

     

    Deixe uma resposta